Dica de Filme: A filha perdida

Por Ale Esclapes¹

Direção: Maggie Gyllenhaal 
Atores: 
Olivia Colman (Leda), Dakota Johnson e Ed Harris 
Plataforma: NETFLIX

Nossas emoções sempre sofrem um processo de significação – como podem ser vividas e como devem ser vividas são dois dos elementos desse processo. No reino do dever, está inscrito inclusive emoções que deveríamos sentir. É nesse espaço que se desenvolve o filme “A filha perdida”.  
 

Uma progenitora deveria amar seus filhos de forma incondicional – isso é o que nossa cultura ocidental contemporânea nos diz que deve acontecer e que a mãe deva sentir.  As emoções em qualquer relação são mais complexas do que esse “mandamento” do incondicional, e a relação da maternidade é permeada de sentimentos de ódio, horror, inveja etc., assim como amor, admiração, contemplação etc. E quando o que se sente fica bem distante do “amor incondicional”, quando se a relação se torna insustentável? 

E se o intentável dá luar ao maravilhamento? Aí onde deveria estar o “amor incondicional” aparece o maravilhamento das experiências vividas na ausência? A culpa logicamente deveria ocupar essa lacuna. E se não ocupa? Uma falsa culpa poderia ocupar esse lugar?  

É um filme que essencialmente nos trás a tensão entre dois sentimentos que deveriam estar presentes (o amor incondicional e a culpe na sua ausência) e o maravilhamento das experiências de ausência. Nós somos levados cada vez mais fundo nessa tensão, que se expande por todo o filme, da qual a própria Leda (personagem de Olivia Colm). “Não tenho esse sentimento materno” – duramente constata Leda ao final do filme. Nem todos tem. Mas poder sustentar as implicâncias dessa falta, bem como suas vicissitudes, é a grande viagem que o filme nos propõe.   

¹Psicanalista, professor, escritor e diretor da Escola Paulista de Psicanálise-EPP e do Instituto Ékatus de Psicanálise. Autor do Livro "A pobreza do Analista e outros trabalhos 1997-2015" e organizador da Coleção Transformações & Invariâncias.

Deixe seu comentário

Comentários

  • Não existem comentários.