Finalmente 2016

by Administrador

Por Sérgio Rossoni1 

Finalmente o Carnaval acabou e o ano começou... Quem já não escutou essa frase, ou disse isso?
A questão é que, o ano acaba de começar e eu sinto que o meu combustível interno esta vazio! – em outras palavras, nem bem o ano começou e eu já estou sem gás.

Se você se sente assim, acho que esse texto vai te servir.

Muitas vezes as promessas de um novo ano, ou mesmo o intervalo das festas coletivas, não correspondem com aquilo de que gostaríamos de fato – a tal da renovação interna. Pelo contrario, tenho observado em algumas pessoas como este período acaba sendo uma parada desesperadora onde toalhas são jogadas no chão na esperança de ver o que dá no ano que vem. O tal do “depois eu penso nisso”.

Levando-se em consideração a situação atual do país, poderíamos até dar um desconto. Contudo, a tarefa árdua em se preservar deste coletivismo pesado e negativo tem se tornado um exercício cada vez mais difícil, principalmente quando sentimos certo estado de desanimo nos rodeando feita aquela nuvenzinha negra perseguindo o personagem no desenho animado.

Quando neste estado, é comum nos sentirmos em um grande vazio, perdido. A confiança em alcançar nossas metas já não parece algo tão empolgante; O emprego torna-se um grande fardo repleto de duvidas, e até mesmo nossas vidas pessoais e afetivas podem ser afetadas, ou melhor, contagiadas.

O problema é que sair deste estado sozinho nem sempre é possível, e muitas vezes, deixamos a vida nos levar sem perceber como a estrada em que seguimos nos conduz rumo a uma ladeira cada vez mais acentuada.

Tenho escrito muito sobre o exercício do pensar, e de como nos conectamos a certas frequências onde passamos a viver momentos intensos alterando nossa realidade externa.

Uma reavaliação interna, compreendendo e atuando em conexão com o corpo físico, nos serviria como respostas para uma série de conflitos gerados por formas pensamento, amebas, impregnadas por ideias coletivas nem sempre positivas; contudo, na maioria das vezes, o processo mental acaba por sobrepor-se ao intelecto físico e espiritual – nos guiamos 100% pela cabeça, quando devemos desenvolver uma escuta interna levando-se em conta as sensações físicas, a linguagem da alma através da intuição e sensações que ela desperta, compreendendo e dando um novo significado para bem estar, onde nossas perguntas internas são formuladas a partir de um novo estado capaz de conectar- se com o nosso Eu de forma serena.

A falta de gás é apenas um indicio de como você vem se posicionando diante dos fatos que o afligem, sem estabelecer este contato interno, ignorando a linguagem do corpo que nos fala através de sensações positivas ou não, somado a intuição que permeia entre o inconsciente e o consciente. Daí, o conflito. Uma forma do corpo e da alma responder a sua condução automática diante das coisas, sem prestar atenção àquilo que de fato é o mais importante: Você!

Costumo fazer alguns exercícios com meus clientes, onde tentamos detectar certos vazamentos energéticos; Sim, perdemos uma quantidade imensa de energia nos preocupando com o nada! Impregnando-nos com o medo coletivo, ou mesmo com as PREOCUPAÇÕES em relação ao futuro, as pessoas, aos outros...

Imagine-se como um carro e tente perceber se existe algum tipo de vazamento em seu tanque de combustível – entendendo por vazamento tudo aquilo que parece sugá-lo de maneira incessante (pessoas, medos, preocupações = falta de confiança em si; crença nas ideias dos outros ao invés de escutar e validar a sua própria ideia; as metas fantasiosas e inalcançáveis tornando seu ano novo um fardo enorme fadado à frustração; enfim...).

Como disse, quando estamos sem gás, sair desse estado sem ajuda pode ser uma tarefa difícil. Uma mãozinha que nos de um impulso pode ser necessário e muito bem vinda, e se por acaso você esta se identificando com este texto, procure alguém que possa ajudá-lo nessa tarefa.

Atualmente existem milhares de profissionais nas áreas psi atendendo em clinicas sociais incríveis – ou seja, dinheiro não é o problema. Um bom coaching também servirá para este propósito.

Então, meu recado para você é:
Se esta sem gás e não consegue abastecer-se, procure um posto amigo – busque ajuda e conhecimento, mas procure encarar seu conflito para que a dor de lugar ao alivio de poder se reposicionar de uma nova maneira, uma nova forma mesmo diante dos velhos conflitos.

Algumas dicas sobre clinicas sociais:
- Procure no Google ou no Facebook sobre a EPP (Escola Paulista de Psicanalise);

- Investigue em sua paróquia - muitas delas mantém o serviço social com psicólogos e terapeutas (Eu mesmo trabalhei um bom tempo em uma delas).

- Não desanime, e nem se culpe ou critique. Entenda apenas que a falta de ânimo pode ser um aviso do quanto você esta desconectado de você mesmo. Restabeleça esta conexão e ganhe muito em todos os sentidos.

Até.

1Psicanalista e escritor. Atende em consultório particular
http://sergioprossoni.wix.com/sergioprossoni#!contato/c24vq

Deixe seu comentário

Comentários

  • Não existem comentários.