06 de maio: Dia do Psicanalista - A data é alusiva ao nascimento de Sigmund Freud

Por Marcelo Moya 1

Se não fosse Thomas Edison com sua lâmpada elétrica incandescente, talvez hoje não houvesse a moderna iluminação LED. Não tendo Karl Benz inventado o primeiro motor combustível, talvez hoje o famoso jogador Cristiano Ronaldo não desfrutaria de seu Bugatti La Voiture Noire, considerado o mais moderno automóvel do mundo. Ou se Santos Dumont não tivesse inventando o 14-Bis, será que alguém viajaria hoje pelo mundo dentro de um confortável e seguro Airbus-A380?

Leia mais
Consciente, pré-consciente e inconsciente x id, ego e superego: instâncias que podem atuar de modo sincrônico entre si

Por Silvio Ribeiro da Silva 1

A Psicanálise de Freud tem como importantes alicerces o que ficou conhecido como primeira e segunda tópicas, sendo a primeira chamada de teoria topográfica (modelo adotado por Freud para pensar o aparelho mental a partir de uma percepção topográfica da mente, envolvendo consciente, pré-consciente e inconsciente) e a segunda de modelo estrutural (revisão feita por Freud não mais vendo o aparelho mental sob o ponto de vista geográfico, mas do ponto de vista estrutural, envolvendo id, ego e superego).

Leia mais
Entrevista Framework

Por Leandro Stitzman e Ale Esclapes

Confira agora como foi a entrevista do psicanalista Ale Esclapes (São Paulo) para o podcast Framework do psicanalista Leandro Stitzman (Buenos Aires) acerca de suas visões visões sobre a clínica psicanalítica. 

Leia mais
Imagina, isso jamais irá acontecer comigo!

Por Marcelo Moya 1

Tempos realmente difíceis estes que estamos vivendo. Diariamente somos dominados por sentimentos ambivalentes entre a esperança pela chegada de dias melhores principalmente em relação às medidas de combate à pandemia que se arrasta há um ano, e da tensão vivida frente aos índices alarmantes do aumento diário de pessoas contagiadas e vítimas fatais
do Covid-19.

Leia mais
Primeiras sistematizações da técnica

Por  José Claudio de N. Gonçalves1

Quando lemos a história da psicanálise podemos acompanhar o passo-a-passo do nascimento e crescimento de uma nova disciplina. Freud percorreu um longo caminho entre experimentalmente aplicar a técnica com hipnose inspirada em Charcot, até a alcançar o desenvolvimento da associação livre, que ele chamou “a regra fundamental da psicanálise”. 

Leia mais
A Teoria da Sedução um equívoco

Por  Raul Hamilton de Souza1

A teoria da sedução, formulada por Sigmund Freud, como uma explicação para as crises de histeria de pacientes sob tratamento, está presente em seus escritos desde a chamada “comunicação preliminar”, cuja autoria se deu em parceria com Josef Breuer. Nesse escrito, a Comunicação Preliminar, já havia a concepção segundo a qual “o sintoma era trauma do passado que, quando vindo à tona, se manifestava nos sintomas neuróticos.

Leia mais
Pulsão: um elemento, vários caminhos

Por Dulce Maria Klassmann Scalzilli1

No texto de Freud “Os Instintos e Seus Destinos (1915)”, o termo Pulsão é tratado como um sinônimo para instinto. De acordo com a Fisiologia, instinto é um estímulo que vem do mundo externo para um tecido nervoso, e é descarregado para fora do corpo através de ação motora. Freud faz uma relação entre instinto e estímulo, inclui o conceito de instinto no de estímulo.

Leia mais
Freud, um infrator de suas próprias técnicas?

Por Victória Cardoso Cozza1

Após o abandono das técnicas antes utilizadas, tais como hipnose e catártica, Freud começa a aplicar a então chamada técnica psicanalítica, consistindo na utilização da associação livre que compreende a fala livre do paciente sobre tudo que vier à sua mente. No caso Dora, é possível vislumbrar a utilização de algumas técnicas da psicanálise como a interpretação dos sonhos para acessar o conteúdo recalcado de Dora e a associação livre, servindo de auxílio para trazer à tona conteúdos reprimidos ajudando na elucidação dos sintomas.

Leia mais
Anotações sobre a Interpretações dos Sonhos

Por Marta M. Kanashiro1

“Pedras sonhando pó na mina
Pedras sonhando com britadeiras
Cada ser tem sonhos a sua maneira”
(Lula Queiroga, Noite Severina)

Publicada em 1900, a “Interpretação dos sonhos” de Sigmund Freud é um dos pilares fundamentais da psicanálise e considerada uma das grandes obras do século XX, ainda que tenha sido escrita e publicada no século anterior.

Leia mais